Eleição

O DECRETO DE DEUS

"Creio na doutrina da eleição porque tenho absoluta certeza que, se Deus não me escolhesse, eu jamais O escolheria. Tenho certeza que Ele me escolheu antes de eu nascer, ou do contrário nunca me escolheria depois disso."[C. H. Spurgeon]

Posted by Cristianismo Puro e Simples on Domingo, 19 de abril de 2015

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Fuja, corra da tentação, ninguém é forte o suficiente para resistir.



Mt 6:13 
"e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!"

Mt 26:41 
"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca".

1Co 10:13 
"Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar".

Hb 2:18 
"Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados".

Hb 4:15 
"Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado".

Tg 1.13-15
"Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta.
Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz.
Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte".

Ef 6:11 
"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo"

Tg 4:7 
"Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós".

1Pe 5:8 
"Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar"










segunda-feira, 1 de maio de 2017

E quando eu perco o controle da minha vida?

Há momentos em que a situação sai do controle, na verdade do nosso controle. O homem é especialista em tentar achar soluções para tudo, sempre temos em mente um plano B para resolver a situação, e até encontramos espaço para um plano C quando tudo mais falhar, mas e se nada der certo, e se nossos planos falharem por completo, e se nossas soluções estão minguando e escoando pelo ralo da adversidade, o que podemos fazer. No livro de Provérbios 16.1 diz: “O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR.” A palavra nos estimula a planejar, organizar nossa vida, mas uma coisa é certa se nosso planejamento não for bem sucedido tenha certeza de uma coisa: os planos de Deus em nossas vidas não falham; como bem reconheceu Jó: Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado (Jó 42.2).

É certo que, mesmo que eu perca o controle da minha vida, Deus continua no controle de tudo, o que foge de minhas mãos está nas mãos de Deus. Não há nada que aconteça na vida do homem que o Senhor não esteja agindo, mesmo o mal, que aparentemente, naquela ocasião é prejudicial, torna-se proveitoso pela soberana permissão de Deus. Nossa perspectiva dentro da imensidão do propósito e vontade de Deus é ínfima, considerando que o Senhor já conhece nosso fim, e nós ainda estamos no começo, e o que ELE tiver que utilizar para cumprir seus propósitos isso ele vai fazer, estamos num processo de conformação, para sermos conformes a imagem de seu filho (cf Rm 8.28-29).

E quando tudo parece não colaborar, quando não encontramos mais jeito? O que fazer nesta situação: o dinheiro acabou, os médicos já desenganaram, o filho foi embora, tudo parece andar contra nós, e agora? O que fazer? Nestas situações e em muitas outras, podemos ter duas atitudes: ou encaramos a situação confiando que Deus está no controle de todas as coisas, esperamos NELE e cultivamos um coração de gratidão ao Senhor; ou partirmos para o vale da ingratidão, reclamando, murmurando por tudo, levando-nos a um estado desânimo espiritual. Podemos escolher sofrer com um consolo do alto ou sofrer desconsolados nesta terra. É neste momento que devemos buscar com mais intensidade a Deus, confiar totalmente no Senhor, e crer que tudo vai passar. 

Todo nosso sofrimento e dor não se comparam com a glória que nos aguarda nos céus, o que passamos nesta terra é muito pequeno, é uma fração de tempo se comparada com a eternidade do porvir. Como disse certa vez um humilde funileiro: “O ímpio pode até viver sem Jesus, e desfrutar e gozar de todos os prazeres nesse mundo, e até ir para a cova feliz. Porém um minuto no inferno o fará esquecer-se de toda alegria momentânea que viveu”, e sim, o contrário também é verdadeiro: o justo pode até viver uma vida de tribulações e provações nesta terra, não gozar de nenhum prazer neste mundo, e ir para cova martirizado, mas quando chegar nos céus, um minuto o fará esquecer de toda dor e sofrimento que passou nesta terra. Ah! E antes que esqueça, este funileiro que discursou esta celebre frase foi o famoso escritor e pregador inglês John Bunyan, autor do best-seller o Peregrino.

A atitude do verdadeiro cristão diante da adversidade deve ser de confiança, confiar num Deus que ordena todas as coisas com sabedoria, que coloca cada coisa no seu devido lugar, até mesmo a mais despicienda partícula de poeira que sobrevoa sobre os raios solares da janela do seu quarto, seu percurso e até mesmo onde ela vai repousar acontece segundo a ordem de Deus. Creia que Deus tem o controle, e para aprendermos esta lição, na escola da vida cristã, o Senhor vai demonstrar o quanto somos impotentes, fracos e necessitados da graça e da misericórdia de Deus, vamos aprender que a nossa força vem DELE, e seremos assim totalmente dependentes de Deus e toda e qualquer situação. E assim poderemos confiantemente dizer como o salmista: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”. (Sl 42.5,11 e 43.5).

Nossa alegria é saber que Deus está sempre conosco, que o Espirito Santo nos consola em nossas tribulações, e que nosso Senhor Jesus Cristo já garantiu nossa passagem de ida para o céu. Que nossa alegria esteja no Senhor Jesus, pois tudo ao nosso redor pode estar desmoronando, mas estamos firmes na Rocha. A tempestade pode está lançando o pequeno barco contra os vagalhões do mar, mas Jesus está no barco conosco, calmo, sereno e tranquilo. Lembre-se se a situação sair do meu controle é porque está no controle de Deus, é ELE que age por nós, onde não tem mais jeito, Deus faz, o que é impossível para o homem é possível para Deus, por isso espera NELE.

E por fim terminamos com este maravilhoso texto, que tem sido pra mim um texto de cabeceira.


“buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal”. (Mt 6.33,34)

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus

Exposição de romanos 8:28-30

Será que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus?




Este vídeo vai esclarecer um pouco esta questão que aflige a muitos cristão no mundo todo.

domingo, 29 de março de 2015

Povo KimyaL recebe bíblia e se alegra.‏



A Bíblia já pode ser lida em 2.544 idiomas


O Relatório Mundial de Tradução de Escrituras, publicado pelas Sociedades Bíblicas Unidas (SBU) informou que até 31 de dezembro de 2012 já foram registradas publicações do texto bíblico em 2.544 diferentes línguas: 1.249 Novos Testamentos, 810 porções bíblicas e 485 Bíblias completas. Em 2012, foram publicadas 27 edições inéditas do texto bíblico, entre as quais 15 edições do Novo Testamento em idiomas como o Balanta (Senegal) e o Paranan (Filipinas) e no dialeto Mardini (Turquia).

As Sociedades Bíblicas de todos os países, bem como outras organizações dedicadas à tradução bíblica, vêm trabalhando em parceria com instituições missionárias e tradutores para produzir, a cada ano, Escrituras em idiomas de todos os continentes. Dessa forma, cumprem a missão de ampliar cada vez mais o acesso ao texto bíblico.

A maior quantidade de traduções, com 745 idiomas, foi destinada ao continente africano, seguido pelo asiático, com 619 e pela Oceania (Austrália, Nova Zelândia e Ilhas do Pacífico), com 449 idiomas. Nas Américas, já foram realizadas 516 traduções e na Europa outras 212. Existem ainda três publicações em idiomas construídos, como, por exemplo, o esperanto.

O relatório apresenta registros de traduções realizadas pelas Sociedades Bíblicas Unidas e Escrituras traduzidas e publicadas por diversas organizações, para que se tenha um panorama mundial do trabalho que vem sendo realizado para difusão da mensagem bíblica. Além das publicações em primeira edição, o relatório mostra também o avanço das revisões e novas edições, revelando o esforço empreendido pelas organizações envolvidas visando a melhoria das publicações e a constante atualização da linguagem. 

Entre as traduções bíblicas inéditas, no biênio 2011/2012, destacam-se oito publicações do Novo Testamento para países do continente africano, como Senegal, Gana, Burkina Faso e Nigéria. Também está entre as publicações em línguas traduzidas pela primeira vez o Novo Testamento em Bacairi, do Brasil.

“Existem cerca de 7 mil línguas no mundo e, portanto, ainda é grande o número de pessoas sem acesso à mensagem bíblica na língua que lhes fala ao coração. Alcançar todos os povos é o nosso desafio, porém agradecemos a Deus por permitir que os esforços para traduzir a mensagem bíblica já tenham apresentado tão bons resultados”, avalia Erní Seibert, secretário de Comunicação e Ação Social da SBB e responsável pela elaboração do documento.





terça-feira, 22 de outubro de 2013

Nosso bom nome Em Cristo

 Imagem “Mais vele o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro.” Pv 22:1

Que lição de sabedoria o livro de provérbios nos traz, são conselhos de grande valor para a sociedade cristã, para manter-se integro diante de um mundo corrupto e corruptor.

Lendo o texto acima me lembro dos mais velhos afirmando que eram bons os tempos em que um acordo entre duas partes eram confirmados pelo simples aperto de mão, uma palavra dada por um homem era garantia de ser cumprida, havia um código de ética na sociedade que levava os homens, mesmo decaídos a cumprir seus deveres morais, é certo que a corrupção política e social existe a tempos remotos, mas é de consenso que em proporções menores. Hoje está de uma forma crescente e indiscriminadamente visível. Onde está a ética social? O homem por mais que implante suas leis morais, e deseje cumpri-las no fim a única lei moral que subsiste é a Palavra de Deus, esta não é apenas um código de ética cristã, mas é uma lei espiritual viva em nossos corações, que só posso cumprir estando Em Cristo, fora Dele e por meus esforços serão apenas mais um compêndio de leis religiosas.

Como então manter-se integro, ser estimado e ter um bom nome, no meio deste mundo que jaz no maligno? - (1 Jo 5:19), como manter minha identidade de cristão, num meio em que abunda a corrupção, a maldade e a sensualidade? A resposta é clara, é estar em Cristo, a única forma é entregar-se totalmente, morrer diariamente, crucificar todos os dias a carne e suas paixões. Quando sabemos de quem somos, que nosso senhor não é mais um tirano maligno e que estávamos presos a ele. Agora sim,  libertos somos servos da justiça.

Somos novas criaturas, criados para as boas obras que ele tem preparado para nós, nossa identidade é Cristo, nosso novo nome é Cristo, o bom nome que temos agora, e por esse nome somos estimados e amados, nosso velho nome Adâmico, ficou para trás, mudamos nosso clã, somos parte da família de Deus, assim como observamos a importância do nome da família nas tribos de Israel, era-lhes atribuído o nome das gerações, até chegar ao patriarca da família, a honra do nome da família era algo de muita importância e estimado entre todos, hoje nosso clã é o de Cristo, pois fomos comprados por ele, fomos a oliveira brava enxertados na boa oliveira.

Ser reconhecido pelo nome de Cristo é a melhor coisa que podemos ter, quando olham para nós e veem a identidade de Cristo em nossas vidas, o bom nome de Cristo em nós faz toda a diferença.

E aguarde a preciosa promessa em Apocalipse 2:18, que diz: Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.

Concordo com William Barclay quando diz com relação ao texto acima:

Nos tribunais antigos usavam-se pedrinhas brancas e negras para registrar o veredicto dos jurados. Uma vez que o promotor e o defensor tinham desenvolvido suas argumentações, o jurado expressava seu veredicto colocando pedras brancas ou negras, segundo fosse inocente ou culpado, numa urna. A sentença de inocente correspondia a uma maioria de pedras brancas, a de culpado a uma maioria de pedras negras. A pedra branca, então, significa inocência. Aqui significaria que o cristão fiel é declarado inocente no tribunal celestial, pelos méritos de Cristo.

Tenha orgulho de seu novo nome em Cristo.


sábado, 30 de março de 2013

Um tal Simão Cirineu na Via Crucis



O relato do evangelho de Marcos mostra uma cena a parte e muito interessante, cena esta descrita nos evangelhos sinóticos (Mc 15:21, Mt 27:32 e Lc 15:21 e com ref. em Rm 16:13).






Trata-se da história de Simão Cireneu, natural de Cirene, cidade ao Norte da África, e que veio a Jerusalém para participar das festividades da Páscoa, não sabendo ele que iria encontrar face a face com o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Tendo sua vida (especula-se que possivelmente seja o mesmo de At 13:1) e sua família transformada pelo evangelho. Observamos em Rm 16:13 quando Paulo em sua saudação, lembra dos filhos de Simão e ainda faz menção honrosa a sua esposa, considerando-a como uma mãe.


Um dia horrível para Simão, curioso pelo tumulto e gritarias, queria ver quem era aquele que estava sendo injustamente considerado como malfeitor. Precisava ver aquele homem, homem de dores, o Justo. 
Sobre seus ombros uma pesada cruz, o rosto ensopado de sangue, quase não conseguia ficar em pé, tamanha agonia e sofrimento, possivelmente tombando e rastejando com aquele madeiro, neste momento um soldado romano recruta Simão, no meio da multidão, compulsoriamente o chama dentre muitos ali presentes. O soldado romano tinha este direito, qualquer cidadão da Palestina poderia ser obrigado a prestar serviço ao exército. 

E lá estava Simão, escolhido em meio a uma grande multidão, aquele homem que chegou com grande expectativa a Jerusalém, com o fim de celebrar a Páscoa com seus compatriotas e familiares, estava agora face a face com o sofrimento daquele Justo, e sendo obrigado a carregar aquela cruz, um fato na história que foi lembrado para sempre, que honra para Simão poder servir ao Salvador em suas últimas horas na terra, este evento transformou seu ser. Aquela cruz, aquele sacrifício livrou a Simão e a todos nós de uma terrível condenação. Cristo a tomou por nós,  espontaneamente sua vida entregou, como está escrito em Jo 10:18  “a vida...ninguém a tira de mim, pelo contrário eu espontaneamente a dou...”.

Este ínfima humilhação de Simão o Cirineu não se compara a grande agonia e humilhação de Cristo, todo desprezo, vergonha e dor. Não tem comparação ao sofrimento do cordeiro que foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades, ele se fez pecado por nós para nele fossemos feitos Justiça de Deus. Executou um obra tremenda e grandiosa, foi obediente e fiel até a morte e morte de cruz.

Páscoa é entender este sacrifício único e suficiente de Cristo na cruz, é saber que mesmo em meio aos contrastes que a cruz revela em nosso ser, que devemos agir de acordo com ela, negando a nós mesmo e vivendo uma vida de renúncia na qual ela exige, devemos ter a total confiança no sacrifício substitutivo e completo de Cristo, pois ele morreu a nossa morte para que vivêssemos sua vida, nos trazendo tão poderosa salvação.

O mundo precisa reconhecer a importância da Pascoa, não somente a festividade, a confraternização com a família, as comidas. O verdadeiro sentido tem que ser a morte e ressurreição de Cristo, que em sua grande humilhação fomos agraciados com uma poderosa salvação para um tão pobre pecador. Que nesta Páscoa o reconhecimento seja desta poderosa obra do filho de Deus, e que possamos negar a nós mesmos, tomar a nossa cruz, e segui-lo em obediência (Mc 8:34-35).

Feliz Páscoa, Cristo morreu e ressuscitou e agora está assentado no trono a destra de Deus, e todo joelho se dobre e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor para glória de Deus Pai.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A salvação na perspectiva do tempo



A salvação é obra de Deus e não do homem. É salvação do pecado e não no pecado. É salvação pela graça divina e não pelo mérito humano. É recebida pela fé e não pelas obras. A salvação foi planejada na eternidade, é executada na história e será consumada no segunda vinda de Cristo. A salvação pode ser analisada na perspectiva do tempo. Quanto ao passado já fomos salvos, quanto ao presente estamos sendo salvos e quanto ao futuro seremos salvos. Quanto ao passado, já fomos salvos da condenação do pecado; quanto ao presente, estamos sendo salvos do poder do pecado; e quanto ao futuro, seremos salvos da presença do pecado. Vejamos esses três tempos da salvação:

Em primeiro lugar, quanto à justificação já fomos salvos. A justificação é um ato e não um processo. É feita fora de nós e não em nós. Acontece no tribunal de Deus e não em nosso coração. Pela justificação, Deus nos declara justos em vez de nos tornar justos. A justificação é completa e não possui graus. Todos os salvos estão justificados de igual forma. A justificação é um ato legal e forense. Com base na justiça de Jesus, o Justo, Deus justifica o injusto sem deixar de ser justo. Seria injusto Deus justificar o injusto. Porém, Deus, é justo e o justificador do que crê. Isso, porque Deus satisfez sua justiça quando entregou seu Filho, o Advogado Justo, para sofrer as penalidades que nós deveríamos sofrer. Deus fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. Agradou a Deus moê-lo. Jesus foi traspassado pelos nossos pecados. Ele foi feito pecado por nós. Ele bebeu, sozinho, todo o cálice cheio da ira de Deus contra nós, pois éramos filhos da ira. Pela morte de Cristo a lei foi cumprida e a justiça foi satisfeita, de tal maneira que, agora, Deus pode ser justo e justificador. Deus considerou satisfatório o sacrifício substitutivo do seu Filho e nos declarou quites com sua justiça. Já não pesa mais nenhuma condenação sobre aqueles que estão em Cristo Jesus, pois o próprio Jesus é a nossa justiça.

Em segundo lugar, quanto à santificação estamos sendo salvos. A salvação já está consumada pelo sacrifício perfeito e irrepetível de Cristo. Diante do tribunal de Deus já estamos salvos. Nossos pecados passados, presentes e futuros já foram tratados na cruz de Cristo. Porém, quanto ao processo da santificação, estamos sendo transformados de glória em glória na imagem de Cristo. Agora, Deus está trabalhando em nós, formando em nós o caráter de seu Filho. Se a justificação é um ato, a santificação é um processo que começa na regeneração e só terminará na glorificação. Se a justificação não tem graus, a santificação tem. Nem todos os salvos estão na mesma escala de crescimento rumo à maturidade. Precisamos, dia a dia, negarmo-nos a nós mesmos. Precisamos de alimento sólido e de exercício contínuo, a fim de fortalecermos as musculaturas da nossa alma. Se Cristo é o nosso substituto na justificação, ele é o nosso modelo na santificação.

Em terceiro lugar, quanto à glorificação seremos salvos. A salvação é um fato pretérito, uma realidade presente e uma garantia futura. Todos aqueles que foram conhecidos por Deus de antemão, foram também predestinados, chamados, justificados e glorificados. Muito embora a glorificação seja um fato consumado nos decretos de Deus, há de historificar-se apenas na segunda vinda de Cristo. Nós, que já fomos salvos da condenação do pecado e estamos sendo salvos do poder do pecado, seremos, então, salvos da presença do pecado. Receberemos um corpo imortal, incorruptível, poderoso, glorioso e celestial, semelhante ao corpo da glória de Cristo. Quando Cristo voltar, em sua majestade e glória, os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro e os que estiverem vivos, serão transformados e arrebatados para encontrarem o Senhor Jesus nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Essa expectativa bendita não é apenas uma vaga esperança, mas uma certeza inabalável. Nós que fomos escolhidos na eternidade e chamados eficazmente no tempo, seremos recebidos na glória!



Este artigo foi escrito por Pr. Hernandes em 1 de novembro de 2012 às 9:08

http://hernandesdiaslopes.com.br/2012/11/a-salvacao-na-perspectiva-do-tempo/#.UKOkPOTAeFc

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Dez Motivos e Dez Métodos para Meditação na Palavra de Deus



Dez Motivos para a Meditação 

Eis dez razões por que você deveria fazer da meditação na Escritura parte da sua vida cristã.

1. A meditação detém o pecado
Se guardarmos a Palavra de Deus no coração ela deterá o pecado na sua raiz (Sl 119.11).

2. A meditação dá início ao bem
A meditação acerca de mandamentos e exortações práticas da Bíblia lembra-nos os nossos deveres cristãos. Aquilo em que pensamos é o que finalmente fazemos (Pv 23.7).

3. A meditação guia e renova a oração
A meditação nos versículos da Escritura abre novos tópicos e áreas para a oração.

4. A meditação faz da falta de sono uma bênção
O salmista transformou a horas “perdidas” da insônia num banquete que sacia a alma (Sl 63.5-6).

5. A meditação não desperdiça tempo
É mais proveitosa do que, digamos, assistir tevê, e fará você mais feliz (Sl 1.1-3).

6. A meditação lhe deixa pronto para testemunhar
Ao enchermos o coração com Deus e sua Palavra estaremos mais bem preparados para responder a todos que pedirem a razão da esperança que há em nós (1Pe 3.15).

7. A meditação auxilia na sua comunhão com outros
Você pode edificar outras pessoas na comunhão com elas, podendo sugerir um versículo para discussão e apresentar algumas ideias a respeito dele.

8. A meditação aumenta a comunhão com Deus

Deus encontra-se com o seu povo mediante as Escrituras. Quem nunca medita na Escritura jamais se encontrará com Deus e caminhará com ele.

9. A meditação revive a vida espiritual

“Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz” (Rm 8.6).

10. A meditação tem ainda muitos precedentes e exemplos bíblicos (Sl 19.14; 39.3; 77.12)
“Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me alegrarei no SENHOR” (Sl 104.34)


Dez Métodos de Meditação


1. Limite-se
Para começar a praticar a meditação, separe não mais do que cinco ou dez minutos.
Comece com um único versículo ou parte de um versículo.

2. Varie
Em alguns dias, escolha um versículo teológico; em outros, um texto prático ou devocional.

3. Escreva
Escreva o texto num cartão pequeno
Coloque-o num lugar onde possa acessá-lo regularmente (carteira ou bolso?).

4. Memorize
Memorize o texto em blocos de duas ou três palavras.
Diga-o em voz alta.
Defina momentos específicos ao longo do dia para relembrar o versículo (café/refeições).

5. Mantenha o foco
Identifique as palavras-chave e procure-as num dicionário (português ou Bíblia)
Substitua algumas palavras por significados paralelos ou mesmo opostas.

6. Questione
Pergunte ao versículo (quem, o quê, onde, quando, por que, como?)

7. Explique
Como você explicaria o versículo a uma criança ou a alguém sem formação cristã.

8. Ore
Use o versículo ao orar (adoração, confissão, graças, súplicas).

9. Revise

Guarde os cartões e todo domingo releia-os e teste sua memória acerca deles.

10. Pratique
Que não seja apenas um exercício intelectual, mas que leve à prática (creia, arrependa-se,
tenha esperança, ame, etc.).


Fonte: Head Heart Hand (http://headhearthand.posterous.com/methods-of-meditation) -- David Murray


Retirado da revista Betel n°23 (Ano 6 - Número 3 - Verão 2011) (http://www.assbetel.com.br/revistas/rev_249.pdf)




terça-feira, 17 de julho de 2012

Grandes cientistas acreditavam em Deus


Deus é o Criador do universo, criou todos os princípios físicos e químicos que originaram toda a matéria, o Criador em sua multiforme sabedoria colocou cada elemento em seu devido lugar, numa ordem perfeita e harmoniosa, que nenhum acaso poderia ter feito, algo sobrenatural e espetacular, os grandes cientistas, buscando desvendar estes mistérios maravilhosos, esbarram onde a ciência não consegue explicar através de suas suposições cientificas tendo de se reder ao Autor Supremo de tudo e de todos.

E a respeito do Seu Filho o Espirito Santo revelou: "Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades, Tudo foi criado por meio dele e para ele...Porque oprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude". (Fp 1:15-16,19).

A maior fonte de estudo cientifico é a origem do universo e da vida, os cientistas de todas as épocas buscam uma explicação lógica e veraz, porém já está bem claro, que a origem de tudo, e tudo mesmo é Cristo Jesus o Senhor, por Ele e para Ele foram criadas todas as coisa, o herdeiro de todas as coisas, o universo gira em torno de Seu Filho é atraído por Ele, cada elemento químico e cada princípio físico estabelecido por Aquele que é tudo em todos, nada poderia existir sem Seu consetimento e tudo numa ordem estupenda de organização, desde o menor dos seres vivos aos maiores e mais inteligentes, que somos nós, miseráveis homens que somos, que achamos que sabemos alguma coisa diante do Rei Supremo do universo.

By Rogério Carvalho

sábado, 7 de julho de 2012

Carta de um jovem Pastor do Zimbábue


Uma carta encontrada no escritório de um jovem pastor do Zimbábue, na África, depois de seu martírio pela fé em Cristo.


“Sou parte da fraternidade dos que não se envergonham. Tenho o poder do Espírito Santo. A sorte foi lançada. Ultrapassei a linha. A decisão foi tomada - sou discípulo dele. Não olharei para trás, não darei trégua, não diminuirei o ritmo, não retrocederei e não ficarei parado. Meu passado está redimido, meu presente faz sentido, meu futuro está assegurado. Não aguento mais vida medíocre, andar pela visão, joelhos macios, sonhos sem cor, visões amansadas, conversa mundana, doação barata e alvos minimizados.

Não mais preciso de proeminência, prosperidade, posição, promoções, aplausos ou popularidade. Não tenho de estar certo, ser o primeiro, o maioral, o reconhecido, louvado, querido ou premiado. Vivo agora pela fé, reclino-me em sua presença, ando por paciência, sou elevado pela oração e obro com poder.

Meu rosto está decidido, minha marcha é acelerada, meu alvo é o céu, meu caminho é estreito, minha estrada acidentada, meus companheiros poucos, meu Guia confiável, minha missão clara. Não posso ser comprado, dissuadido, desviado, seduzido, mudado de rumo, iludido ou atrasado. Não recuarei diante do sacrifício, não hesitarei na presença do inimigo, não me entregarei aos valores da popularidade e não perambularei no labirinto da mediocridade.

Não desistirei, não me calarei e não darei trégua até que tenha, à última medida, permanecido, acumulado, orado, pagado à vista e pregado pela causa de Cristo. Sou discípulo de Jesus. Devo ir em frente até que ele venha, doar-me até esgotar-me as forças, pregar tudo que sei, e trabalhar até que ele me detenha. E, quando Ele vier por si mesmo, não terá problema em me reconhecer [...] minha bandeira estará clara”.

domingo, 10 de junho de 2012

A esperança da volta de Cristo






Muitas vezes essa verdade está apagada em nossos corações, em nossas pregações, em nossos cânticos, temos que lembrar sempre, reavivar a esperança em nossos corações e nós alegrarmos no Senhor. Rm 12:12 “sedes alegres na esperança”.

Fp 3:20-21 "Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas."

Paulo escreve aos filipenses, e evidencia em vários textos a volta de Cristo, geralmente com a expressão o Dia do Senhor em Fp 1:6, 1:10 e 2:16 ou perto está o Senhor em Fp 4:5. Falar sobre a volta de Cristo era um assunto comum no primeiro século da igreja, e os irmão consolavam uns aos outros com está palavra.

Filipos era uma colônia romana, e sendo assim tinha a cultura, vestimentas, língua, governo estabelecido por Roma, era na verdade uma miniatura de Roma, e nós como Cristãos somos pequenos Cristos. Devemos viver nesta terra como cidadão dos céus, nossas atitudes devem expressar nossa pátria celeste.

O termo usado por Paulo, aguardamos, no texto original expressa um forte anseio e uma intensa expectativa, trata-se de uma certeza iminente do maior acontecimento da história.

Não somos deste mundo, mas vivemos nele como peregrinos e forasteiro. Todos os nossos projetos pessoais podem não chegar a ser concluídos, queremos que Cristo volte logo, ou queremos que retarde para dar tempo de terminar a faculdade, conseguir minha aposentadoria, ver meus filhos casarem, conseguir comprar minha casa própria, nossos corações estão cheios de expectativas deste mundo, irmão se conseguir alcançar essas coisas tudo bem, mas se Cristo voltar antes muito melhor.

Lembrar que temos que fazer nossa atividades, continuar nossos projetos mas priorizar o reino em primeiro lugar, e na hora de decidir, decida por Cristo, temos que sempre escolher o reino de Deus como prioridade da nossa vida. Há tempo para tudo é dito em Eclesiastes capitulo 3.

Não é por isso que devemos andar relaxadamente sem querer trabalhar ou estudar, na igreja em tessalônica, Paulo alerta os irmãos a não viverem ociosos, sem trabalhar e sendo pesados aos irmãos, pois viviam só aguardando a volta de Cristo, podemos fazer todos nossos trabalhos seculares, priorizando sempre a obra de Deus, tudo que nos empenhamos tem que estar alinhado com a obra de Deus.

Enquanto estivermos aqui seremos aperfeiçoados, lapidados, corrigidos, até o dia que não mais teremos a presença do pecado, e seremos perfeitos em Cristo Jesus, onde acabará todo sofrimento e cansaço desta vida. Teremos o corpo transformado de humilhação para glorioso, imortal, incorruptível e celeste.

Aquele que prometeu é fiel, Mt 24:30 “então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem e todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu com poder e muita glória.” predito pelos anjos At 1:11 “Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o viste subir.”

Aproximadamente 2000 anos, o as gerações aguardam a volta do Salvador, está mais perto do que longe. Rm 13:11 “já é hora de vos despertardes do sono porque a nossa salvação está, agora mais perto do que quando no principio cremos.”

Você está se preparando, quantos estão se preparando? a pergunta correta seria você está preparado? pode ser hoje, a qualquer momento, num piscar de olhos.

Certa vez perguntaram a John Wesley - O que você gostaria de estar fazendo quando Jesus voltar? ele respondeu "eu gostaria de estar fazendo o que faço todos os dia, pois todos os dias aguardo ansiosamente a vinda do Senhor Jesus."

Temos a esperança mais também temos que estar vigilantes, como na parábola da dez virgens em Mt 25:1-13

Tradição judaica do casamento-noivo saía pelas ruas num cortejo a noite para as núpcias, buscava noiva em sua casa e em cortejo com seus amigos iam para sua casa celebrar seu casamento, que durava as vezes 7 dias.
Todas eram cristãs, não está falando do mundo e sim da igreja.
O azeite simboliza o Espirito Santo, as lâmpadas simbolizam o coração do homem (Cf. Pv 20:27 - espirito do homem).

Dois tipos de cristãos, os que estão cheios do espírito santo e os que estão vazios, ou quase se apagando na fé - nominais somente.

Temos que estar com nossas vasilhas cheias do óleo do espírito, 1Rs 17:9-16, Elias e a viúva de Sarepta, temos que entregar tudo, esvaziar nossas vasilhas, e deixar estar cheios do óleo do espírito, a condição para o óleo não acabar é ter vasilhas sempre disponíveis.
Nosso coração está cheio do espírito ou cheio das preocupações desta vida?, ou cheios de pecados, até pecadinhos de estimação. Do que está cheio nosso coração, onde está teu tesouro ai está teu coração (Mt 6:21).

Temos que estar preparados, alertas, vigilantes. Como está nossa vida de comunhão com Cristo, analise a si mesmo, antes de você terminar de ler este artigo Cristo pode voltar. Onde está o meu coração. Onde está minha integridade, tenho negociado com o mundo minha integridade, no capitulo 1 de Daniel, ele e seus amigos decidiram não se contaminar com as iguarias (sacrificadas aos ídolos) e o vinho do Rei que estavam postos diante deles, e decidiram comer só verduras e tomaram água, andaram no curso contrário a todos os outros, temos que rejeitar o banquete que o mundo nos oferecer e passar a comer as verduras, negar a nós mesmos, renunciar a tudo e tomar nossa cruz.

O quanto do mundo tem dentro de nós? Relativizamos o pecado, e achamos muitas coisas normais, isso não tem problema, o evangelho mudou, está acompanhando a evolução, é tendência mundial, eu prefiro o evangelho puro e genuíno que é o mesmo ontem, hoje e sempre.

Recentemente recebi um e-mail, que é a mais pura realidade: Se você fura fila, suborna os guarda de transito, recebe troco a mais e não devolve, frauda o imposto de renda, leva pequenas coisas do trabalho, imprime e tira xerox, você em nada difere dos políticos corruptos deste país, ele são apenas um reflexo seu.

Quanto mais nos aproximamos de Deus, vemos que pequenas coisas que fazíamos naturalmente, são pecados.

Não sabemos o dia da sua volta, mas temos os sinais da sua vinda.

Em Lc 21:29 parábola da figueira, quando começam a brotar está próximo o verão, assim sabeis que está próximo o reino dos céus.

Sinais: terremotos, fomes, guerras, nação contra nação, multiplicação da iniquidade, o amor se esfriará de quase todos (Mt 24:12), a apostasia (1 Tm 4:1-2 “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos dias, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.”) Apostasia no grego significava separar, abandonar. Abandono da verdade revelada, mudança de senhorio.

Sempre houve tais sinais em toda história da humanidade, mas próxima a vinda de Cristo haverá a intensificação destes sinais. Cuidado com o que vemos na internet sobre os sinais, muitas histórias são especulação, temos que ter base de informações sérias, para não sermos enganados e disseminar notícias falsas.

No texto de 1 Ts 5:1-3 "Irmão, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmo estais inteirados com precisão de que o Dia dos Senhor vem como ladrão de noite. Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz, e de nenhum modo escaparão."

As dores de parto são sinais que a mãe tem antes de dar a luz, iniciam leves e espaçadas, a medida que a intensidade e a frequência aumenta sabemos que está próximo a dar á luz, "Estamos perto do grande parto cósmico, a cabeça já apareceu falta a igreja vir a luz para experimentar a mesma realidade da cabeça"(Romeu Borneli).

Irmãos toda história culmina para a volta de Cristo, reavivemos nossa esperança, e mantenhamos firme a nossa vigilância, pois quando não cuidais virá o Filho do Homem – Ap 22:20 Certamente, venho sem demora! Amém! Vem, Senhor Jesus.





O Rei está voltando, o Rei está voltando
A trombeta está soando o meu nome a chamar
Sim o Rei está voltando, o Rei está voltando
Aleluias, ele vem me busca. 




By Rogério Carvalho

sábado, 5 de maio de 2012

Tempo de Qualidade

“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor”. 
(Efésios 5:15-17).

Tempo, tem que ser aproveitado ao máximo, com qualidade e administrado com responsabilidade, organizando as prioridades e rejeitando o que não vai contribuir para a edificação, remir o tempo significa aproveitando ao máximo, tirando o melhor proveito. 

O tempo é algo tão precioso e incerto, não temos certeza com relação a ele, não sabemos quanto tempo de vida teremos, anos ou dias, é uma variável que não pode ser recuperada, não é interrompida, cada um de nós será cobrado pelo Senhor, de como utilizamos nosso precioso tempo. 

Nossa prioridade incondicional deve ser nosso relacionamento com Deus, isto deve ocupar a maior parte de nosso tempo e pensamento, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua Justiça e... Mt 6:33. O sábio é aquele que sabe em meio a dias maus, aproveitar todas as oportunidades boas, utilizar seu precioso tempo com coisas proveitosas e que edificam, deixando de lado interesses que só servem para perder tempo e nós tornar cada vez mais distantes do Pai.


Organizar as prioridades da vida é essencial para termos uma vida ordenada, e focada no alvo que é Jesus, o tempo tem passado e muitas vezes estamos atrofiados no Reino de Deus, desenvolvemos mais algumas partes de nós mesmos e deixamos outras paradas, somos muitos bons no trabalho, na faculdade e medíocres na Obra de Deus, priorizamos o conhecimento e deixamos de lado a vida prática cristã normal. 

Aquilo que é do nosso interesse, nisto gastamos nossas forças, tempo e dinheiro. 

Uma das estratégias de Faraó no Egito, para retirar do povo a mentalidade em cultuar a Deus, foi aumentar seu trabalho assim o povo não teria tempo ocioso para pensar em sacrificar a Deus, então faraó deu ordem aos seus superintendentes e capatazes para agravar o serviço do povo, que faziam tijolos, e agora eles teriam que ir buscar a palha que antes lhes era dada pelos egípcios, e manter a mesma cota de tijolos diários. 

Hoje em dia não é muito diferente, as muitas atividades profissionais e acadêmicas nos tiram o tempo precioso para nos dedicarmos a Obra, e principalmente ao Senhor da Obra. Tempo de leitura, tempo de oração, tempo de adoração este deve ser o objetivo diário, uma necessidade incondicional.

Organizando bem nosso tempo teremos oportunidade de fazer tudo que é essencial e necessário, pois há tempo para tudo debaixo do céu, como está escrito em Eclesiaste 3:1

Façamos a seguinte oração todos os dias, Senhor "Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio." (Sl 90:12)


By Rogério Carvalho

sábado, 7 de abril de 2012

Páscoa conosco

"Lançai, fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro Pascal, foi imolado. Por isso, celebremos a festa não com o velho fermento, nem com o fermento da maldade e da malícia, e sim com os asmos da sinceridade e da verdade." (1 Co 5:7-8)


O fermento é uma imagem do pecado. É pequeno, porém poderoso; trabalha em oculto; faz a massa inchar e se espalha, a igreja deve se livra de todo velho fermento, todas as coisas que pertencem a nosso antigo estilo de vida antes de crermos em Cristo (Wiersbe-Comentário bíblico expositivo).

O termo Páscoa do hebraico PESSACH, significa passagem, os Judeus celebram a libertação e fuga do Egito, e os Cristãos celebram a morte e ressurreição de ressurreição Cristo.

No livro de Êxodo 12 vemos a instituição da Páscoa judaica e os elementos e tradições que a compõem, que em seu sentido especial é uma sombra do verdadeiro e real significado.

O Cordeiro Pascal, a ser imolado, sem defeito, e seu sangue aspergido nos umbrais das portas, representa o sangue de Cristo derramados a favor de muitos, em 1Jo 1:7 diz: sangue esse que nos purifica de todo pecado(velho fermento), que faz com que não sejamos consumidos, quando Deus olha para a terra ele vê sobre nós o sangue de Cristo sobre nossas vidas.

Foi um sacrifício santo, puro e agradável a Deus, a Páscoa é motivo de grande alegria, pois o seu sangue nos libertou dos nossos pecados e nos fez reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, Ap 1:5-6. Foi somente pelo sangue do Cordeiro ele reconciliou consigo todas as coisas, éramos por natureza inimigos de Deus e filhos da ira, agora somos reconciliados e temos paz para com Deus por meio de Jesus Cristo nosso Senhor.

Muitas pessoa questionam esses períodos de festas cristãs, muitas pessoas defendem a não comemoração atribuindo a tais festas, sentidos pagãos e comerciais, é verdade que se pesquisarmos um pouco mais existem tais conotações, mas nunca devemos esquecer que independente da data ser exata ou não, ou se neste mesmo evento comemora-se festejos a deuses da fertilidade - inclusive de onde vem a tradição de ovos e coelhos da pascoa, independente disto tudo o sentido principal é Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, é momento de nós alegrarmos e juntos com nossa família e igreja celebrarmos e exaltarmos o nosso Senhor, o que importa é lembrar da morte e ressurreição de Jesus, lembrar também que ele foi assunto aos céus e da mesma forma que subiu voltará, Maranata.

Aguardamos com muita expectativa a volta do nosso Senhor, em suas ultimas palavras, na santa ceia, num período como este de celebração da Páscoa, disse Jesus: Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes do meu sofrimento, pois vos digo que nunca mais a comereis, até que ela se cumpra no Reino de Deus. (Lc 22:15-16). Lembremos a morte do Senhor Jesus até que ele venha, e estaremos no grande banquete das bodas do Cordeiro.


By Rogério Carvalho

quinta-feira, 29 de março de 2012

Não sejamos Mendigos espirituais.




Uma alimentação fraca, sem nutrientes, uma alimentação que vem somente das migalhas dos outros, que caem da mesa, há um banquete esperando, uma alimentação especial, e só queremos comer aos domingos e no máximo um dia a mais na semana, somos mendigos espirituais, a palavra está disponível 24 horas por dia, alimento sólido e genuíno, temos uma dispensa maravilhosa, cheia de nutrientes para nos fortalecer e estamos magros, raquíticos e muitos quase mortos, não mendiguemos o pão, gostamos muito de comer o pão de outras pessoas, mas não temos a coragem de buscar o pão e muito menos de compartilhar o pão com outras pessoas, nossa barriga está vazia, como poderemos ajudar aqueles que tem fome, se não temos conosco senão migalhas de pão.


E como se não bastasse estamos na porta do REI, pedindo que ele resolva nossa causa, ou nos dê aquela benção que tanto esperamos, batemos a porta do palácio para só pedir, enquanto que o REI quer que entremos pelas portas e o sirvamos e quer também nos fazer participantes de todas as coisas com seu filho, quer que sejamos co-herdeiros. 


Mas nos acostumamos a mendigar, a orarmos somente pedindo, a nos alimentar do que os outros deixam cair da mesa, entremos no palácio do REI, e o sirvamos com Alegria, não pelo que Ele pode nos dar, mas pelo que ele fez por nós, que estávamos num tremendo lamaçal, ele nos acolheu com seu amor, infinito amor. Porque mesmo depois de nos tornarmos: Servos, filhos, amigos, co-herdeiros, cidadãos nos comportamos como mendigos, mendigos espirituais.



By Rogério Carvalho

segunda-feira, 26 de março de 2012

Como podemos ter paz no vale


Postado por Pr. Hernandes Dias Lopes em 21 de março de 2012 às 16:36 em Pastorais
A verdadeira paz existe e pode ser experimentada! Essa paz não se encontra nas farmácias nem nos boutiques famosas. Não está nas agências bancárias nem nas casas de shows. Essa paz não é encontrada no fundo de uma garrafa nem numa noitada de aventuras. Essa paz está centralizada em Deus. Ela vem do céu. É sobrenatural. Como poderemos experimentar essa paz, ainda que cruzando os vales da vida?


Em primeiro lugar, conhecendo o Deus e Pai de toda consolação.

Deus é a fonte de todo consolo. Quando ele nos permite passar pelo vale, é para fortalecer nossa fé e nos aperfeiçoar em santidade. Quando ele nos leva para o deserto, nossas experiências tornam-se ferramentas em suas mão para consolar outras pessoas. É Deus quem nos matricula na escola do deserto. O deserto é o ginásio de Deus, onde ele treina seus filhos e, equipa-os para grandes projetos. Quando somos consolados, aprendemos a ser consoladores. Alimentamo-nos da fonte consoladora e tornamo-nos canais dessa consolação para os aflitos. Não há paz fora de Deus. Não há descanso para a alma senão quando nos voltamos para Deus. Não há consolo para o coração aflito fora de Deus, pois só ele é o Deus e Pai de toda consolação, que nos consola em toda a nossa angústia, para consolarmos outros, com a mesma consolação com que somos consolados.


Em segundo lugar, conhecendo a Jesus, a verdadeira paz.

A paz não é ausência de problema, é confiança no meio da tempestade. A paz é o triunfo da fé sobre a ansiedade. É a confiança plena de que Deus está no controle da situação, mesmo que as rédeas da nossa história não estejam em nossas mãos. A paz não é um porto seguro onde se chega, mas a maneira como navegamos no mar revolto da vida. A paz não é apenas um sentimento, mas sobretudo, uma pessoa, uma pessoa divina. Nossa paz é Jesus. Por meio de Cristo temos paz com Deus, pois nele fomos reconciliados com Deus. Em Cristo nós temos a paz de Deus, a paz que excede todo o entendimento. Paz com Deus tem a ver com relacionamento. Paz de Deus tem a ver com sentimento. A paz de Deus é resultado da paz com Deus. Quando nosso relacionamento está certo com Deus, então, experimentamos a paz de Deus. Essa paz coexiste com a dor, é misturada com as lágrimas e sobrevive diante da morte. Essa é a paz que excede todo o entendimento. Essa paz o mundo não conhece, não pode dar nem pode tirar. Essa é a paz vinda do céu, a paz que emana do trono de Deus, fruto do Espírito Santo. Você conhece essa paz? Já desfruta dessa paz? Tem sido inundado por ela? Essa paz está à sua disposição agora mesmo. É só entregar-se ao Senhor Jesus!


E terceiro lugar, conhecendo o Espírito Santo como o nosso consolador.

A vida é uma jornada cheia de tempestades. É uma viagem por mares revoltos. Nessa aventura singramos as águas turbulentas do mar da vida, cruzamos desertos tórridos, subimos montanhas íngremes, descemos vales escuros e atravessamos pinguelas estreitas. São muitos os perigos, enormes as aflições, dramáticos os problemas que enfrentamos nessa caminhada. A vida não é indolor. Mas, nessa estrada juncada de espinhos não caminhamos sozinhos. Temos um consolador. Jesus, nosso Redentor, morreu na cruz pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa justificação. Venceu o diabo e desbaratou o inferno. Triunfou sobre a morte e deu-nos vitória sobre o pecado. Voltou ao céu e enviou o Espírito Santo para estar para sempre conosco. Ele é o Espírito de Cristo, que veio para exaltar o Filho de Deus. Ele é o Espírito da verdade, que veio para nos ensinar e nos fazer lembrar tudo o que Cristo nos ensinou. Ele é o outro consolador, aquele que nos refrigera a alma, nos alegra o coração e nos faz cantar mesmo no vale do sofrimento. O consolo não vem de dentro, vem de cima. Não vem do homem, vem de Deus. Não vem da terra, vem do céu. Não é resultado de autoajuda, mas da ajuda do alto!


Artigo extraído de Palavra da Verdade: http://hernandesdiaslopes.com.br

sexta-feira, 23 de março de 2012

Orai uns pelos outros.


Temos que empunhar nossas armas espirituais, sejam elas ofensivas ou defensivas, com oração. Paulo referenciou os aparatos do soldado romano com as armas da nossa milicia espiritual.  (Ef 6:10-20)


Na história mostra que uma das táticas do exército do império romano contra seus inimigos era a  formação que segue na foto ao lado, ou seja um cobria ao outro, estavam unidos protegendo um ao outro contra os ataques, desta mesma forma não podemos tomar as armas espirituais sozinhos, temos que estar com elas e em comunhão com nossos irmãos, cobrindo nossos irmãos em oração 
por qualquer lado  que o inimigo tentar nos atacar teremos um irmão nos protegendo em oração.

(Tg 5:16 "Confessai, pois vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.")

O poder e a eficácia da oração é uma verdade absoluta, quando pedimos alguma coisa segundo a vontade do Senhor (1Jo 5:14-15 "E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito."), ela afeta a nossa qualidade de vida, e quando nos preocupamos com os problemas dos nossos irmãos Deus preocupa-se com as nossos. Temos que ter sempre em mente e orações as vidas de nossos irmãos, um cobre ao outro em oração, para que possa resistir o dia mal e vencer as adversidades da vida. Lembro que a um tempo atrás era comum alguns irmãos terem um caderninho de oração e neste caderno colocavam alguns pedidos, causas e irmãos que precisavam de oração, era um bom método para organizar oração, mas a secularidade vai nos tirando os velhos e bons hábitos. - Pra que caderno numa era digital e globalizada, temos que voltar a velhas práticas cristãs, que achamos que ficaram obsoletas, mas tem um significado muito forte.


Certa vez um querido irmão contou que estava numa viagem missionaria na Africa e que teria que fazer uma travessia de barco do continente até uma ilha próxima, e no meio do caminho foram pegos por uma tempestade e ficaram a mercê da bravura do mar, e ele junto com a equipe de missionários começaram a orar e pedir livramento, e as ondas se jogavam com ímpeto contra a embarcação, e em determinado momento a tempestade parou e o mar se acalmou,  e eles chegaram são e salvos a ilha e lá fizeram a obra missionária. Ao retornar a sua igreja, no seminário, contava dos livramentos que o Senhor lhe havia dado e ao relatar essa passagem a um professor do seminário este lhe falou que naquela mesma noite do fato, Deus o tinha acordado e colocado no seu coração para orar pelos missionários que estavam além mar, Deus se encarrega de tudo na obra, mas ele quer que você ore pelos irmãos, por isso, se você lembrar de alguém, sonhar, ou sentir no coração, ore meu irmão você podera através da oração estar livrando alguém em algum lugar que você nem imagina, pode ser o mais estranho que for depois você saberá o que foi.


"A intercessão nos deixa no anonimato e põe Deus e Seu poder em evidências." (Vanjo Souza)


Paulo, com toda graça de Deus, detentor de todas as armas e dons espirituais e não estava só nesta luta, pedia sempre a cobertura das orações dos irmãos (1Ts 5:25 "Irmãos, orai por nós.").


Portanto irmãos, orai por mim, que eu oro por ti.


By Rogério Carvalho

quinta-feira, 22 de março de 2012

A verdadeira Paz

A VERDADEIRA PAZ
(Autor Anonimo)


Certa vez um rei encomendou a dois famosos pintores um quadro cuja temática fosse a paz. Além de garantir que iria comprar os dois quadros, o rei anunciou que daria um extra para o artista que melhor retratasse a paz.


No tempo marcado, eles trouxeram suas pinturas.


O primeiro retratava um lago sereno, espelhando altas e pacíficas montanhas à sua volta, encimado por um céu azul com nuvens brancas como algodão.


Todos os que viram este quadro acharam que ele era um perfeito retrato da paz.


O outro quadro também tinha montanhas. Mas eram escarpadas e calvas. O céu, ameaçador, derramava chuva e relâmpagos. Da encosta da montanha caía uma cachoeira espumante. Não parecia nada pacífica.


Mas o rei, experimentado nas artes, olhou com vagar e viu ao lado da cachoeira um pequeno ninho numa fenda da rocha. Mamãe pássaro e seu filhote repousando em segurança.


O rei escolheu a segunda. Sabe por que?
- Porque paz, explicou o rei, não significa estar num lugar onde não há barulho ou problemas. Paz é um estado de espírito. É a capacidade de estar no meio disso tudo e ainda manter a calma do coração.


"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou;
eu não vo-la dou como o mundo a dá."
João 14.27